top of page
  • Erik Seifer (Pelicano)

Meus 10 Plugins Gratuitos favoritos

Essa semana Erik Seifer (Pelicano) traz um artigo completo com os 10 plugins gratuitos favoritos do produtor. Não perca essa super dica, confira agora mesmo!


Talvez o aspecto mais marcante do Lo-Fi e da cultura beatmaker é fazer muito com pouco. As próprias limitações muitas vezes forçam os produtores a criarem alternativas inovadoras, sendo a criatividade e número de possibilidades elementos muito sedutores nas produções desse gênero. Quando comecei a produzir, era muito importante ter as ferramentas com que fosse possível alcançar resultados bons e me trazer mais próximo das referências que eu tanto admirava, sem que pra isso eu precisasse gastar uma fortuna.


Após muito garimpo, esses são os meus 10 plugins de áudio gratuitos, que testei e recomendo fortemente, para complementar o arsenal de sons e de processamento que todo produtor deve construir cautelosamente para atingir sua sonoridade. Deixo também comentários de músicas onde eu utilizei alguns desses plugins, para efeito de ilustração.


1) Valhalla Supermassive


O Delay é, de longe, a ferramenta que eu mais uso criativamente, seja pra criar espacialidade, dramaticidade em momentos específicos, ou dar aquela apimentada em um elemento percussivo. O Valhalla Supermassive é uma ótima opção para quem gosta de experimentar com delays, já que confere características muito únicas e, como o próprio nome diz, é capaz de criar uma alta densidade atmosférica, massivas nuvens de feedback, com o girar de alguns knobs. Nada melhor pra dar ideias do que colocar um delay em um canal e ver o que acontece!


2) iZotope Vinyl


Vou passar por esse rapidinho, já que esse talvez seja o mais conhecido da comunidade Lo-Fi. Amplamente utilizado em produções de baixa fidelidade, o iZotope Vinyl é capaz de texturizar o sinal sonoro, dando coloração e características que aproximam o som de um processamento analógico. Pode ser usado também pra adicionar pequenas imperfeições como: ruídos de vinil, mecânicos ou elétricos.


3) DPiano-E (Piano elétrico) por Dead Duck Software


Esse talvez seja o meu piano elétrico favorito, e é uma felicidade imensa que ele seja gratuito. Possui presets pra facilmente escolher entre um timbre mais macio ou mais agressivo, regulagem de decay e release, overdrive, controle de agudo, imagem estéreo e, o meu favorito: modulação (de pan ou de volume). É extremamente versátil e encaixa no lofi como uma luva, por conta de seu preset Mellow. É com esse VST que eu geralmente dou vida às minhas melodias mais suaves, como no lead de “Urban Blue” ou na harmonia de “Minas Gerais” do projeto Pelicano.


4) Mr. Ray


Imagine ter toda a estética dos pianos elétricos dos anos 70 como a do Ray Charles, gratuitamente e com baixo custo de CPU. O Mr Ray foi uma das descobertas mais interessantes quando estava procurando algo que emulasse os Fender Rhodes ou Wurlitzers da época, com uma fidelidade e variedade de controles impecável. O destaque aqui é para as opções de Pickups, delays e wah wah embutidos nesse VST impressionante.


DICA: Dependendo da versão, existe um bug que deixa as notas com um ruído no ataque de cada nota. Para remover isso, a cada sessão nova na DAW com esse plugin, toque várias notas musicais ao mesmo tempo com as mãos ou crie um midi que toque pelo menos 10 notas de uma vez, dê play nisso, e esse bug sumirá enquanto você estiver naquele projeto.


5) Ample Bass P Lite II (ABPL)



É muito comum que o produtor não tenha como gravar uma linha de baixo utilizando um instrumento real, mas queira mesmo assim trazer as características orgânicas pro seu projeto digital. Foi o meu caso no início, e a ferramenta que me auxiliou foi o ABPL 2. Com esse plugin, você pode emular certos acentos e características únicas de uma performance de baixo. É claro que um VST dificilmente alcança as sutilezas de uma gravação orgânica, porém com o processamento adequado, essa opção pode te salvar como me salvou. (no álbum “Urbanscape”, a maior parte das linhas de baixo foi feita utilizando esse ótimo plugin).


6) Spitfire Audio Labs – Soft Piano


Pode acreditar: muitas tracks de lofi que são clássicos absolutos, foram produzidas com essa belezura gratuita aqui. O Soft Piano da Spitfire Audio Labs possui a suavidade que os chill beats muitas vezes pedem. Mas esse piano não é a única biblioteca gratuita: o Labs possui uma infinidade de pads, corais, drum kits, pianos e guitarras de forma totalmente gratuita, que rodam todos na mesma plataforma e são extremamente leves. Para dar um exemplo: enquanto algumas bibliotecas de piano tem mais de 40 gb, os pacotes do Labs tem em média 1 gb. Vale a pena dar uma fuçada nas bibliotecas!


7) DSK Saxophone


Nada como adicionar uma camada de instrumentos de sopro a uma track para dar uma ambiência, mas quem produz e garimpa timbres sabe como é exaustiva a missão de encontrar um timbre fiel. Eu confesso pra vocês que se ouvisse o timbre do DSK Saxophone um ano atrás, não acharia interessante. A questão com esse, e com muitos plugins, é como você utiliza ele. Assim como os samples baixados diretamente da internet, esses VSTs tem muita pouca característica atrelada a ele, quase como um mármore sem esculpir. Em posse dessa peça, o artesão dá a sua própria característica, formatos.. na música isso se trasmite na coloração, filtros, reverb/delay, saturação.. Esse VST de saxofone é um exemplo disso, a partir de algo simples é possível adicionar uma dimensão incrível para sua música. Bora?


8) Glitch 1.3


O Glitch não poderia ficar fora dessa lista, já que é um dos efeitos VST gratuitos mais interessantes. O Glitch do DBlue éum tipo de sequenciador e processador de efeitos múltiplos. A entrada audio é dividido em etapas individuais de vários comprimentos de forma que uma variedade de efeitos pode ser aplicada e misturada nesses segmentos e a sequência em loop. Existem controles para ajustar o nível e a quantidade do efeito, bem como a duração da sequência e a mistura do efeito no som original.


9) Youlean Loudness Meter


Esse plugin ajuda você a encontrar a verdadeira intensidade sonora percebida do seu áudio e o prepara para o lançamento em serviços de streaming. É essencial para o produtor estar por dentro de qual são os LUFs (medida de intensidade sonora adotada pelos serviços de streaming, como o Spotify), True Peak (amplitude máxima da onda sonora), entre outras visualizações. Embora a versão paga seja mais completa, a demo já cumpre diversas necessidades do produtor.


10) Tal-Reverb


Um efeito muito importante em toda produção musical é o reverb, para criar efeitos estéticos ou espacialidade. No lofi isso é ainda mais importante dado que na maioria das vezes estamos lidando com instrumentos que não foram gravados em um ambiente, mas queremos passar a impressão que há um lugar que o som está inserido. Embora possamos obter ótimos sons em reverbs da própria DAW, às vezes um novo plugin pode realmente melhorar nosso jogo de produção. O Tal-Reverb da Togu Audio Line pode ajudar nesse passo, com seu fenomenal reverb de placa de som e diversas opções de personalização, sendo um ótimo plugin gratuito.


Considerações finais:


Por fim, queria lembrá-los como pode ser extremamente incentivador ter um plugin novo para testar, podendo isso até dar inspiração para novos tipos de composição. O importante é não só estarmos sempre experimentando, mas também passar um bom tempo entendendo a sonoridade de cada VST, e os algoritmos de cada ferramenta sonora. Só com esse contato prolongado, podemos ter domínio de cada ferramenta e tirar o máximo dela com originalidade e qualidade, então, testem muito os plugins e.. boa produção!


Ah, não esquece de comentar quais vocês utilizam, e claro, deixar a sua dica de Plugin Gratuitos. A Lo-Fi Brasil agradece!

Comments


bottom of page